Manual do filhote

02/04/2012 09:03

 

A chegada do filhote em seu novo lar

A família aumentou e nada melhor do que dar as boas vindas para seu cãozinho num ambiente tranqüilo, pelo menos nos primeiros dias, afinal ele ainda não está acostumado. Mas com um pouquinho de paciência e compreensão, mais dia, menos dia, ele vai se adaptar.

Para seu cãozinho não estranhar a primeira noite sem a mãe, que tal colocar uma bolsa de água morna e um cobertor na cama dele? Com o calor, ele vai se sentir protegido e isso fará com que ele não sinta a falta da mãe nem do resto da ninhada.
O filhote tem de aprnder a dormir sozinho. Se ele choramingar, não o repreenda nem o leve para a cama com você. Em pouco tempo ele vai se acostumar.
Um detalhe muito importante: a alimentação do seu filhote não deve ser alterada bruscamente nos primeiros dias. Continue alimentando-o com o mesmo alimento industrializado oferecido pelo criador, já que nessa fase, por causa do estresse, os distúrbios intestinais são mais freqüentes e passageiros.

Alimentação do seu filhote

Alimentar os filhotes da melhor maneira possível, a fim de garantir cães fortes e saudáveis, é mais fácil e prático do que você imagina. Existem no mercado alimentos completos e balanceados, específicos para cães em desenvolvimento. Nessa fase da vida os filhotes necessitam de teores maiores de proteína, gordura, minerais e vitaminas do que os cães adultos.

Mantenha água fresca e limpa sempre à disposição do seu filhote.
É recomendável dividir as quantidades diárias sugeridas nas embalagens em três a cinco refeições.
À medida que o filhote cresce, esse número deverá diminuir gradativamente até duas veses ao dia. Em geral, são considerados filhotes animais até um ano de idade, embora haja uma variação entre as raças.
A condição física do filhote é o melhor indicador para definir se a quantidade de alimento recomendada é a ideal. Os guias alimentares servem apenas como sugestão.

Pele e pelo

Mantenha seu cão limpo, escovando-o regularmente. Habitue-o a isso desde o início, de modo que seja um momento de prazer para você e para ele, e não uma batalha.
Comece com sessões curtas. As escovas e os pentes utilizados, assim como a frequencia dos banhos, devem variar de acordo com o tipo de pêlo do seu cãozinho. Animais de pêlo longo necessitam ser escovados diariamente, diferentemente dos cães de pêlo curto, que podem ser escovados apenas uma vez por semana.
Lembre-se de dar banho preferencialmente nos dias quentes, por volta das 10 horas da manhã. Nunca utilize detergentes ou desinfetantes nos banhos.
Após o banho, seque-o com uma toalha própria e, se necessário, utilize secador de cabelos. Se o seu cãozinho se molhar na chuva, enxugue-o e depois escove-o. Não se esqueça de secar bem suas patinhas.
OLHOS - Nas raças pequenas, cujos olhos são muito sensíveis, requerem limpeza regular com solução fisiológica.
ORELHAS - É importante que as orelhas estejam sempre limpas e secas, especialmente em cães de orelhas caídas.
UNHAS - Você deve aprender a cortá-las ou solicitar ao Médico Veterinário que o faça.
DENTES - Você pode prevenir mau hálito, queda dos dentes e gengivite escovando os dentes do seu filhote. Consulte o Médico Veterinário sobre a freqüência e forma correta.

 

Higiene dentro e fora de casa

Vai ser fácil educar seu filhote, pois cães são higiênicos por natureza. Com um pouquinho de atenção, paciência e preseverança, tudo vai ficar mais fácil e ele irá aprender rapidinho. Basta levar em consideração alguns princípios básicos.

Cães costumam definir três áreas bem distintas:
> Local para dormir, onde deverá estar sua caminha, caixa ou cesto.
> Local para defecar e urinar, geralmente sobre folhas de jornal ou na grama.
> Local para se alimentar, onde deverá estar o comedouro e a vasilha de água.
As áreas devem ter aproximadamente 1,5 metro de distância entre si, pois um filhote não irá defecar ou urinar próximo da sua cama ou do seu comedouro.
Mantenha uma rotina para acostumar seu filhote a fazer as necessidades no local correto:
ao acordar, após as refeições, sonecas e passeios de carro e antes de dormir, leve-o para uma área forrada com folhas de jornal ou para a rua.
Aprenda a reconhecer quando o seu cão está prestes a fazer suas necessidades e, no momento certo, leve-o imediatamente ao local correto.
Quando ele tiver terminado, felicite-o calmamente. Em breve ele irá associar o ato de fazer suas necessidades no local correto com os elogios e o encorajamento.
Se você surpreendê-lo defecando ou urinando em local errado, diga "Não!" com um tom de voz firme e leve-o imediatamente à area designada.
Não esfregue o focinho do seu filhote no cocô ou xixi, nem bata nele durante o aprendizado.
Em apartamentos, forre uma extensa área com folhas de jornal. À medida que ele for se acostumando a urinar e defecar no local correto, diminua gradativamente a área forrada. Em pouco tempo o filhote saberá que esse é o local correto para fazer suas necessidades.
Seja um dono responsável; não deixe que o seu cão suje edifícios, calçadas, jardins ou praças. Colete as fezes e dê a elas o destino adequado.

                                    Utensílios importante para os filhotes

> Caixa de transporte.
> Cama ou cesto.
> Vasilhas para água e comedouro (de plástico ou aço inox - fáceis de lavar, inquebráveis e difíceis de virar)
> Brinquedos específicos, feitos de material adequado, ideais para diverti-lo e para evitar que ele estrague móveis, sapatos e roupas.
> Coleira de guia.
> Escova, pente e xampu específicos para cães.

A higiene dos utensílios

> Limpe o comedouro após cada refeição.

> Não lave os utensílios de seu animalzinho junto com louças de sua família.
> Lave a caminha e o cobertor separadamente e mantenha-os sempre limpos e secos. Muito parasitas vivem no cão e depositam seus ovos neles.

A saúde-doênças infecciosas mais comuns

 

As doenças a seguir podem ser prevenidas por meio de um plano adequado de vacinação, indicado pelo seu Médico Veterinário.

Mantenha a carteirinha de vacinação atualizada e não permita que o seu cãozinho entre em contato com outros animais ou com locais por onde estes circulem antes de estar completamente imunizado.
> CINOMOSE: Doença viral, muitas vezes fatal, que pode apresentar como sintomas febre, vômito, diarréia, alterações cutâneas, tosse, corrimento nasal e/ou ocular e não raramente, alterações neurológicas.
> PARVOVIROSE: Geralmente fatal, essa virose causa falta de apetite, vômito, diarréia sanguinolenta, desidratação e, em alguns casos, problemas cardíacos.
> LEPTOSPIROSE: Doença causada por bactéria que afeta o fígado e os rins, caracterizada por falta de apetite, diarréia sanguinolenta, icterícia (amarelamento), dor abdominal e vômito. Pode ser transmitida ao homem (zoonose).
> CORONAVIROSE: Assemelha-se à Parvovirose em sua apresentação. Embora tenha sintomas geralmente mais brandos, não dispensa cuidados veterinários.
> HEPATITE INFECCIOSA CANINA: Doença viral que atinge o fígado e pode levar à morte.
>RAIVA: É uma zoonose fatal. O homem contamina-se quando entra em contato com a saliva de um cão contaminado com o vírus da raiva.

 

Verminose ( parasitas internos )

 

A maioria dos cães nasce com vermes que lhes são transmitidos através da placenta da mãe ou durante a amamentação. Felizmente essas infecções são fáceis de prevenir e tratar. Por isso, esteja atento se o seu filhote apresentar alguns destes sinais: fraqueza, diarréia ou vômito; filamentos de sangue, muco ou estruturas semelhantes a sementes de melão nas fezes; comportamento estranho, como esfregar o ânus no chão.
Previna as verminoses por meio de um programa periódico de desverminação prescrito pelo seu Médico Veterinário. Em geral, é recomendado iniciar já nas primeiras semanas de vida.
Tome cuidado ao mexer nas fezes, pois algumas verminoses podem ser transmitidas ao homem. Não esqueça de lavar sempre as mãos após executar as tarefas de higiene.

 

Parasitas externos

> PULGAS: As pulgas são os parasitas externos mais frequentes, responsáveis por causar coceiras, desconforto, reações alérgicas e transmissão de vermes. Elas podem ser encontradas, em sua grande maioria, no ambiente em que o seu cãozinho vive (cama, tapetes, assoalhos de madeira e frestas). Por isso, para obter resultados efetivos no controle de parasitas, deve-se tratar o animal e o ambiente simultaneamente.

> CARRAPATOS E PIOLHOS: São parasitas externos que podem transmitir doenças para o seu cãozinho. Examine-o periodicamente, a fim de constar a presença desses parasitas.
Não esqueça: a higiene com banhos e escovações deve ser periódica, pois essa é a melhor maneira de prevenir, detectar e tratar os parasitas externos dos cães.
Consulte sempre o seu médico Veterinário para saber que providências devem ser tomadas e qual o tratamento adequado.

Recomendamos:

Frontiline plus ( pipeta ) á cada dois meses

 

 

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!