A HISTÓRIA DO SHIH TZU

Há uma lenda que define o Shih Tzu como sendo o símbolo do amor impossível entre uma princesa chinesa e um mongol (povo predominante no Tibet). Segundo essa lenda, diante da impossibilidade de realizarem o casamento, o casal resolveu cruzar um legítimo representante da China (o Pequinês) com um de Lhasa (capital do Tibet), este seria o Lhasa Apso. Da união das raças surgiu o Shih Tzu, simbolizando tudo o que há de melhor nas duas culturas e o amor entre os dois povos.

A origem precisa do Shih Tzu é bastante longínqua e se perde em meio a lendas. O nome da raça provém do mandarim, dialeto chinês bastante antigo, e significa cão leão. Acredita-se que os primeiros exemplares da raça tenham sido presentes do Dalai Lama Tibetano ao imperador da China por volta de 1640. No entanto não se tem certeza, realmente, de quais raças contribuíram para seu desenvolvimento em solo chinês uma vez que eram criados praticamente isolados no palácio real.
O desenvolvimento da raça é em grande parte devido ao amor de uma das imperatrizes chinesas (Tsé-hi), que durante toda a vida sempre foi cercada por seus cães. Segundo historiadores da raça, os cães da imperatriz eram mantidos num imenso pavilhão de mármore, cercado por cuidados extremos e tendo à disposição uma legião de eunucos, cuja obrigação era zelar pelo seu bem estar.Foi a partir de 1928 que os Shih Tzus passaram a fazer parte das ricas casas das famílias abastadas da China e de algumas poucas famílias no ocidente. Nesta época, no entanto, não havia um único nome para a raça. Eram chamados de Lhasa Terrier, Tibetan Poodle ou Caniche Tibetano, Lhasa Dog e até Cão-crisântemo, o que gerou inúmeras confusões entre os criadores e historiadores, uma vez que eram frequentemente confundidos com o Lhasa Apso.
Problemas oculares, como lacrimejamento contante devido à sua estrutura física (olhos grandes e bastante expostos), conjuntivite e úlcera de córnea. Uma das medidas que é bastante utilizada pelos proprietários para evitar que o próprio pelo machuque o cachorro, é prendê-los numa espécie de ‘chuquinha’
 
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS:
- O Shih-Tzu é um cão de raça de pequeno porte e de origem tibetana.
- A expectativa de vida desta raça é de 15 anos de idade
 
- O peso médio dos cães desta raça é, em média, de 4 a 7 quilos.
- A altura destes cães varia de 20 a 30 cm.
- Os pêlos destes cães são macios, sedosos e compridos
 
- Possuem um rabo peludo e encurvado
- A cabeça possui um formato arredondado.
 
COMPORTAMENTO E TEMPERAMENTO:
- São dóceis e amáveis.
- Adaptam-se muito bem em ambientes pequenos como, por exemplo, apartamentos.
- Quando treinados para necessidades fisiológicas, tornam-se muito higiênicos. Não dormem em locais usados para suas necessidades.
- Adoram ficar esparramados em chão de piso frio.
- Bebem muita água.
 
Curiosidade: testes de DNA realizados, comprovaram que a shih-tzu é uma das raças de cães mais antigas do mundo.
 
 
 
APARÊNCIA Geral
Robusto, pelagem abundante, porte distintamente arrogante, com cabeça lembrando o crisântemo.
 
CARACTERÍSTICAS
De temperamento amistoso e independente, inteligente, ativo e alerta.
 
CABEÇA E CRÂNIO
Cabeça larga, redonda, profusamente peluda, com pêlos caindo sobre os olhos, estes bem separados, boa barba e bigodes. Os pêlos crescendo para cima, no focinho, conferem-lhe uma clara semelhança com o crisântemo. Focinho bem largo, curto, com cerca de 2,5cm da ponta ao stop, reto, de nível ou levemente arrebitado, quadrado e peludo, sem rugas. Cana nasal em linha com a pálpebra inferior ou levemente abaixo. Trufa preta, podendo ser cor de fígado, com pigmentação o mais homogênea possível. Narinas bem abertas, stop bem definido.
Trufa inclinada para baixo ou pontuda são características altamente indesejáveis. Olhos: grandes, redondos, escuros, inseridos bem separados, sem ser proeminentes. Expressão calorosa. Nos cães de cor fígado, ou com marcações dessa cor, olhos mais claros são permitidos, desde que a íris cubra o branco dos olhos. Orelhas: grandes, com lóbulos longos, portadas caídas, inseridas ligeiramente abaixo da abóbada craniana. Devem ser tão profusamente cobertas de pêlos que se confundem com a pelagem do pescoço. Boca: larga, ligeiramente prognata ou em torquês. Lábios retos.
 
PESCOÇO
Bem proporcionado, graciosamente arqueado, suficientemente longo, para portar a cabeça alta.
 
ANTERIORES
Ombros bem oblíquos, membros anteriores curtos, com boa musculatura e ossatura, tão retos quanto possível, compatíveis com o peito largo e profundo.
 
TRONCO
A distância entre a cernelha e a raiz da cauda é maior que a altura, na cernelha. Bem compacto e forte. Peito largo e profundo. Ombros firmes. Dorso reto.
 
INFERIORES
Membros curtos e musculosos, com boa ossatura. Vistos, por trás, retos. Coxas bem arredondadas e musculosas. Devem parecer volumosas, em virtude da pelagem abundante.
 
PATAS
Arredondadas, firmes, com boas almofadas plantares, parecendo grandes pela pelagem abundante.
 
CAUDA
De plumagem abundante, inserção e porte altos, alcançando, aproximadamente, o nível do alto do crânio, o que lhe confere uma aparência equilibrada.
 
MOVIMENTAÇÃO
Altiva, fluente, com longo alcance à frente e forte propulsão dos posteriores, exibindo as almofadas plantares.
 
PELAGEM
Longa, densa não cacheada, com bom subpêlo. Uma leve ondulação é permitida. Recomenda-se que os pêlos da cabeça
sejam atados.
 
COR
Todas as cores são permitidas; uma faixa branca na fronte e na ponta da cauda são altamente desejadas nos particolores.
 
PESO E ALTURA
De 4,500 a 8,100 quilos. O peso ideal de 4,500 a 7,300 quilos. Altura máxima na cernelha, 26,7cm. Tipo e características da raça são da maior importância e não devem ser preteridas pelo tamanho.
 
FALTAS
Qualquer desvio, dos termos deste padrão, deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.
 
NOTA
Os machos devem apresentar os dois testículos, bem visíveis e normais, totalmente descidos na bolsa escrotal. 
Problemas Comuns a Raça
 
 
Doenças Comuns da Raça
Otites  – principalmente pelo acúmulo de cera facilitado pelo excesso de pelos dentro dos canais auditivos que dificulta a circulação de ar e a limpeza. Para evitar esse problema, deve-se manter os pelos dos ouvidos sempre aparados.
 
Alergias  e dermatites
 
Displasia Coxo-femural  – má formação do encaixe entre a bacia e a cabeça do fêmur. Apesar de mais facilmente atingir cães de raças grandes, os Shih Tzu são bastante predispostos a ela.
 
Atrofia Progressiva da Retina  – causa perda gradual da visão e pode levar à cegueira.
 
Alguns estudo apontam uma maior incidência de insuficiência renal. Nestes casos o cão afetado praticamente não bebe água, demonstra apatia e dificilmente urina. Em casos graves, pode levar o cão à morte.
 
Cuidados com os pelos
É bom começar a pentear as madeixas do seu Shih Tzu desde filhote. Mesmo que não haja necessidade, é importante acostumar o seu cão à escova. A partir dos quatro meses, aproximadamente, os pêlos já são grandes o suficiente e precisam de uma escovação a cada dois dias. A partir dos cinco meses, é bom que a escovação seja diária. O melhor mesmo é você perceber, pela prática, quando deve passar a escovar seu Shih Tzu com mais freqüência.
 
 
A escovação periódica, ao remover sujidades, deixa a pelagem mais bonita e remove os indesejáveis nós. Quanto mais dias sem escovar, mais nós estarão provavelmente se formando. Para manter uma pelagem vistosa e macia, é necessário investir em condicionadores e xampus de qualidade. Se o seu Shih Tzu está com a pelagem opaca, pode ser, porém, um indicativo de deficiência nutricional. No entanto, esse diagnóstico só poderá ser feito pelo veterinário.
 
 
Para manter a pelagem longa, como se exige para exemplares de pista, é trabalhoso. É preciso escovação diária, de preferência com aplicação de um spray anti-estático que evita a quebra de fios. A região do bigode também deve ser empapelotada e os papelotes trocados diariamente. Já para quem tem exemplares como bichos de estimação, há a opção de mantê-los tosados. Facilita muito o trato. Bastam uma rápida escovação diária ou a cada dois dias e o retoque mensal da tosa. Outra dica é deixá-lo permanentemente com a tosa higiênica, que consiste em aparar a pelagem ao redor do ânus e, no macho, também ao redor da genitália, o que evita que urina e excrementos sujem o cão.
Eduardo Teixeira, criador de Shih Tzus. Extraído da Revista Cães e Cia, nº 316
 
Tenha paciência
Se você está com pressa, deixe para escovar seu Shih Tzu mais tarde. É importante pentear o pelagem do Shih Tzu quando você tiver tempo sobrando. Isso evita que, na pressa, você machuque o seu bichinho e quebre mais pêlos que o desejável. O tempo extra é também importante para amarrar os pêlos da cabeça. Vinte a trinta minutos costumam ser suficientes para desembarçar, escová-lo todo, limpar os olhos e amarrar os pêlos da cabeça. Se o cão não é escovado há mais de dois dias, costuma demorar mais tempo. Se necessário, peça a ajuda de um familiar.
 
Qual escova usar?
Utilize uma escova de hastes longas para desembaraçar os fios até a raiz, mas evite aquelas que têm bolinhas, pois danificam a pelagem.
Vânia Brein, experiente criadora. Extraído do site Au Cães
 
Fontes consultadas:
Clube Shih Tzu
 
 
AS CORES DO SHIH TZU:
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!